Depois de um ano marcado pela greve dos caminhoneiros, o setor de transporte de cargas do Paraná espera pela posse do governo eleito para reduzir as incertezas geradas pelas negociações do período. Um ponto destacado é a tabela de fretes: reivindicação dos trabalhadores para encerrar a paralização, mas que enfrentou derrota no Supremo, com liminar do ministro Luiz Fux e a derrubada das punições em caso de descumprimento.

Na avaliação do presidente da Fetranspar, Sérgio Malucelli, o balizamento de valores não pode permanecer por causa da impossibilidade de aplicação.

O representante da Fetranspar destacou que outras tentativas de tabelamento foram fracassadas no país e fala em expectativa com relação às medidas a serem tomadas pelo governo federal a partir de janeiro.

Apesar das preocupações, o setor já sinaliza a retomada do otimismo.

Assim como as entidades ligadas ao setor produtivo, a Fetranspar cobra a realização de reformas como a tributária e da previdência para uma possível melhora no ambiente de negócios do país.

Fonte: https://cbncuritiba.com/transporte-cargas-tabela-fretes/

Categorias: Análises

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *